Telefone:. (11) 4810-6810

Assine nossa newsletter e ganhe 10% de desconto em sua primeira compra

Pode ser por vergonha, pressão social ou por desconhecimento do próprio corpo, muitas mulheres não atingir o tão esperado orgasmo. Acontece também por apresentam limitações orgânicas que podem causar a frigidez feminina.

Sentir prazer é algo muito importantes para ter uma excelente autoestima e a saúde em dia, tanto fisicamente quanto emocional. O orgasmo libera diversas substâncias benéficas ao nosso organismo, além de queimar calorias, sem contar que o ato sexual aproxima os parceiros, melhorando a relacionamento como um todo.

Mas e quando o prazer simplesmente não acontece?

Para ajudar você a tirar todas as dúvidas e a aprender exercícios que podem resolver esse problema, trouxemos o post de hoje. Acompanhe!

O que é frigidez feminina?

A disfunção sexual feminina, também chamada de frigidez, são problemas durante algumas das fases do ciclo de resposta sexual da mulher, que a impedem de chegar ao prazer durante a relação sexual. Quando a mulher apresenta algum problema para sentir prazer.

Alguns autores preferem chamar a frigidez de “disfunção sexual feminina”, evitando assim o aspecto pejorativo que a antiga denominação veio a assumir, como “mulher assexuada” ou que “não gosta de sexo”. São problemas durante algumas das fases do ciclo de resposta sexual da mulher, que a impedem de chegar ao prazer durante a relação sexual.

Quais são os ciclos de resposta femininos?

O ciclo de resposta sexual da mulher é dividido em quatro fases. Quando a mulher tem dificuldade de resposta em alguma delas, ela pode estar com alguma disfunção sexual feminina. Entenda melhor as quatro fases da resposta sexual feminina:

Excitação

Esta é a fase em que a vontade pelo sexo é despertada o momento de quando “bate a química”, e costuma ter maior prazer quando a mulher se sente desperta para o sexo.:

  • Aumento da tensão muscular
  • Aceleração dos batimentos cardíacos e da respiração
  • Intumescimento dos mamilos e aumento dos seios
  • Aumento do fluxo de sangue nos genitais
  • Começo da lubrificação vaginal e inchaço das paredes da vagina, clitóris e dos pequenos lábios.

É essencial para a mulher saber o que traz excitação, o que a estimula, para conseguir entrar em contato com a própria realidade de sua libido. Sem isso, nenhum prazer se inicia.

Platô

A fase do platô está mais próxima do orgasmo em si, e nela há um aumento de excitação. Conforme a relação sexual evolui, essa é a hora em que se aproxima o orgasmo. Há um aumento principalmente da sensibilidade do clitóris, da intensidade dos batimentos cardíacos e da respiração e da tensão muscular.

Orgasmo

É o clímax alcançado por conta de todos os estímulos até agora. Momento da resposta sexual, ele é acompanhado das seguintes características:

  • Contrações musculares involuntárias
  • Aumento da pressão arterial, frequência cardíaca e intensidade da respiração, para haver um mais rápido uso do oxigênio
  • Contração dos músculos vaginais, além de contrações ritmadas do útero.
  • Movimentos ritmados do útero.
  • Respiração mais intensa

Resolução

Depois de todas as reações físicas e intenso prazer do orgasmo, o corpo feminino precisa de uma etapa para se recuperar. A fase de recuperação do corpo, que normalmente é mais rápida nas mulheres do que nos homens, já que eles gastam mais energia com a ereção do pênis. Algumas mulheres conseguem retornar para a fase do orgasmo após a resolução, se continuarem sendo estimuladas, o que pode causar orgasmos múltiplos.

Tipos de disfunção sexual feminina?

Existem várias disfunções sexuais femininas, que variam de acordo com os sintomas. Podemos dividi-las em quatro grupos:

Baixo desejo sexual

Quando a mulher tem pouco ou nenhuma libido, essa diminuição do desejo sexual pode ter origem física ou psicológica. Aqui entra o desejo sexual hipoativo (DSH), que corresponde à total falta de interesse pelo sexo.

Transtorno de excitação sexual

Também chamado de frigidez, é a incapacidade da mulher de manter a excitação e a lubrificação durante o ato sexual.

Transtornos orgásticos

Em que a mulher tem dificuldade de chegar ao orgasmo, ou mesmo não consegue atingi-lo, como na anorgasmia.

Transtornos de dor sexual

Neles a mulher tem dor associada ao contato vaginal ou à estimulação sexual. Entre eles temos:

  • Dispareunia: dor genital durante o ato sexual
  • Vaginismo: contração involuntária dos músculos próximos à vagina que impedem a penetração do pênis, dedo ou qualquer outro objeto
  • Fobia ou aversão sexual: pânico e sentimento de repulsa diante de relações sexuais ou que levem ao sexo.

Quais as causas da frigidez feminina ou disfunção sexual feminina?

Causas físicas

Deve-se excluir doenças que afetam a vagina e o clitóris, como as infecções e os fatores vasculares, circulatórios ou neurológicos. Fatores endócrinos como o aumento da prolactina nos períodos pós-parto ou nos tumores hipofisários e o hipotireoidismo também podem dificultar ou impedir a capacidade da mulher de obter o orgasmo. Além disso, a pressão alta, o fumo e o álcool podem ser causas de frigidez. Os efeitos secundários de algumas medicações devem ser levados em consideração.

Veja também:

Causas psicológicas

Além das doenças psíquicas que podem afetar o desempenho sexual das mulheres (ansiedade, depressão, stress), devem ser avaliadas as vivências sexuais traumáticas, os conflitos e bloqueios psicológicos, o medo de engravidar, as relações emocionais inadequadas do par sexual, etc.

Causas culturais e sociais

Algumas visões sócio-culturais da sexualidade são muito inadequadas a um funcionamento normal da sexualidade feminina. Há culturas que exaltam a sexualidade feminina e até a associam à religião, enquanto outras a reprimem a ponto de mutilar órgãos sexuais femininos. Cada uma delas tem efeitos diferentes quanto à frigidez (disfunção sexual feminina) porque a educação sexual, conforme tenha sido conduzida, pode ajudar ou prejudicar o desempenho sexual posterior, criando medos, mitos e preconceitos. Muitas mulheres que alegam dificuldade em alcançar o orgasmo, nunca tiveram informação a respeito e simplesmente não sabem como consegui-lo.

Existe tratamento para a frigidez feminina?

Não há um remédio específico para tratar a frigidez feminina. Algumas tentativas têm sido feitas com o viagra e com a testosterona, mas os resultados são duvidosos. Acontece ainda a dificuldade das mulheres e de muitos médicos em se utilizar dessas drogas já que elas foram aprovadas para homens.

Atitudes para melhorar a vontade de fazer sexo:

1- É importante a mulher querer mudar sua vida sexual e sexualidade, isso implica em mudanças de pensamentos e atitudes em relação a sua sexualidade e sexo.

2- Deve descobrir o motivo de ter dificuldade em relação ao sexo e buscar meios de melhorar o que atrapalha sua vida sexual. Alguns motivos são a dor na penetração, não sentir prazer, sentimento inadequado pelo parceiro, vergonha do seu corpo, seus pensamentos e educação sobre o sexo, comportamento do parceiro durante a intimidade, falta de estimulação adequada durante as preliminares, e outros.

3- A mulher deve evitar fazer sexo com desconforto ou dor na penetração ou após.

4- A mulher precisa iniciar o autoconhecimento de sua região íntima. Tocar-se para aprender como é seu corpo e como sentir prazer sozinha. Após este conhecimento poderá orientar seu parceiro para realizar estímulos de acordo com seu agrado e evitar o que lhe causa desconforto.

5- O diálogo sobre a vida sexual do casal, agrados e desagrado de cada um. Deste modo evita-se estímulos inadequados e inicia-se atitudes que facilitam o desejo e excitação. Dica: a mulher precisa olhar através de um espelho para sua vulva e região do períneo.

 

Gostou do artigo? Compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email