Assine nossa newsletter e ganhe 10% de desconto em sua primeira compra

Como tratar a dificuldade de ereção com o peridell

COMO TRATAR A DIFICULDADE DE EREÇÃO COM O PERIDELL

A disfunção erétil (DE) refere-se a incapacidade de obter e/ou manter uma ereção adequada até a conclusão da atividade sexual. Para Abdo (2016) esta disfunção atinge 45,1% dos homens brasileiros em algum grau, sendo que a incapacidade total é de 1,7%; incapacidade moderada de 12,2%; incapacidade mínima, que raramente ocorre é de 31,2%. O nível de educação dos homens que apresentam DE tende a ser inferior em comparação com o homem que não apresenta esta queixa.

Isso demonstra a importância da educação para a prevenção das disfunções sexuais, dos cuidados com a saúde física e emocional, hábitos de vida saudáveis e informações corretas sobre sexo e sexualidade. Problemas na ereção esporádicos são naturais e podem resultar de cansaço, preocupações, estresse, falta de interesse em sexo no momento, não caracterizando disfunção sexual. Características e fatores que causam a DE A maioria dos casos de impotência surge após um período de funciona¬mento sexual “normal” (tipo adquirido). A ausência completa de qualquer resposta erétil é rara, sendo comum a presença de uma ereção parcial não suficiente para a penetração vaginal, ou a existência de ereção completa que habitualmente é perdida quando da aproximação da pene¬tração vaginal. Em alguns casos a ereção pode ser suficiente para a penetração, mas diminui em seguida, não permitindo a continuação da penetração. Os fatores que causam a dificuldade de ereção, são:

1- Maus hábitos de vida (sedentarismo, obesidade, estresse, tabagismo, alcoolismo e drogas ilícitas);

2- Cirurgias e traumas (com lesões nos músculos, circulação e nervos);

3- Conflitos no relacionamento (afastamento íntimo entre o casal, problemas sexuais da parceira);

4- Baixa autoestima, insegurança, depressão, questões culturais;

5- Doenças de origem neurológica, vascular (diabetes), hormonal (diminuição de testosterona), respiratória e hepática;

6- Efeitos adversos de medicamentos (anti-hipertensivos, diuréticos, antidepressivos, ansiolíticos);

7- Condições físicas que cause dor ou desconforto;

8- Envelhecimento (com enfraquecimento muscular, alterações na circulação e nervos).

Fatores emocionais e físicos comprometem a força dos músculos do assoalho pélvico, região do períneo, e como consequência haverá alterações na ereção e ejaculação. Nestes casos é indicado tratamento com o fisioterapeuta especializado em Fisioterapia Pélvica. Quando o homem apresenta com frequência dificuldade de ereção poderá desenvolver ansiedade, em consequência desta ocorre ejaculação precoce. Pode apresentar com o tempo depressão, dificuldades no relacionamento, insegurança, baixa autoestima e insatisfação com a autoimagem.