anticoncepcional diminui a libido

Anticoncepcional diminui a libido?

A sexualidade é uma parte importante da vida de muitas pessoas e, por isso, a questão do uso de anticoncepcionais e sua influência na libido é um assunto que gera bastante discussão e dúvidas.

Enquanto algumas mulheres relatam uma diminuição na libido após o início do uso de anticoncepcionais, outras não percebem qualquer alteração.

Diante dessas divergências, é preciso entender os prós e contras do uso de anticoncepcionais para a saúde sexual da mulher.

Neste post, você conferece se realmente anticoncepcional diminui a libido, além de conhecer os principais métodos contraceptivos e opções de produtos vendidos na Miess para aumentar o desejo sexual.

O que é libido?

Primeiramente, é importante esclarecer o que é libido.

Libido é um termo que se refere ao desejo sexual e pode ser definida como a energia ou força motivacional que leva as pessoas a buscar experiências sexuais.

Ela sofre influência de uma combinação de fatores biológicos, psicológicos e sociais, incluindo hormônios, emoções, relacionamentos e experiências passadas.

Além disso, a libido varia ao longo da vida, e muitos fatores podem influenciá-la, incluindo o estresse, a fadiga, problemas de saúde, mudanças hormonais e experiências traumáticas.

No entanto, é importante ressaltar que ela também varia significativamente entre as pessoas. Sendo assim, não existe um “normal” ou ideal de desejo sexual. O importante é se sentir confortável e satisfeita com a sua vida sexual, conseguindo expressar sua sexualidade de forma saudável e consensual.

Antes de esclarecermos se anticoncepcionais influenciam na libido, vamos mostrar os tipos mais comuns de contraceptivos.

Tipos de anticoncepcionais

Existem diversos tipos de anticoncepcionais disponíveis no mercado, cada um com seus próprios mecanismos de ação, eficácia e efeitos colaterais. Os mais populares incluem:

Pílula anticoncepcional oral combinada

A pílula anticoncepcional oral combinada contém dois tipos de hormônios sintéticos, o estrogênio e a progesterona. Esses hormônios atuam inibindo a ovulação, além de tornar o muco cervical mais espesso, dificultando a entrada dos espermatozoides no útero.

Esse método possui eficácia de cerca de 99%, desde que seja administrado corretamente, todos os dias no mesmo horário.

Pílula anticoncepcional oral de progesterona

A pílula anticoncepcional oral de progesterona contém apenas o hormônio progesterona sintético. Esse tipo de pílula também atua inibindo a ovulação, além de alterar o muco cervical e a espessura do endométrio. A eficácia da pílula de progesterona é um pouco menor do que a pílula combinada, em torno de 92-97%.

Injeção anticoncepcional

Já a injeção anticoncepcional é um método contraceptivo injetável. De uso mensal, ela possui a combinação de dois hormônios: a progesterona, responsável por dificultar o encontro do óvulo com o espermatozóide, e o estrogênio, que atua para impedir o crescimento dos folículos nos ovários e tornar o endrométrio mais estável.

Geralmente, as mulheres que optam pela injeção estão em busca de praticidade. Isso porque não é preciso administrá-lo diariamente.

A eficácia da injeção anticoncepcional mensal é alta, já que a sua taxa de falha fica em torno de 0,2 a cada 100 mulheres por ano.

Adesivo anticoncepcional

Assim como outros métodos, o contraceptivo em forma de adesivo se baseia na administração dos hormônios estrogênio e progesterona.

A aplicação do adesivo é super simples, a própria mulher consegue colá-lo no corpo. Geralmente, os fabricantes orientam que ele seja colocado nos braços, costas, parte inferior da barriga ou nas nádegas.

Ele precisa ser trocado a cada semana e sua taxa de eficácia é de cerca de 99%.

Disposito intrauterino (DIU)

Mais um método famoso é o dispositivo intrauterino (DIU). Existem dois tipos: de cobre ou hormonal.

O DIU de cobre é um pequeno dispositivo em formato de T com ação espermicida. Sua atuação funciona, basicamente, da seguinte forma: ele inibe a fertilização do óvulo. Estima-se que o DIU de cobre tenha eficácia de 99,4%

Já o DIU hormonal contém o hormônio progesterona sintético, que inibe a ovulação e altera o muco cervical. Com taxa de falha menor que a do DIU de cobre, sua eficácia chega a 99,7%.

Existem duas opções famosas de DIU hormonal, o mirena com duração de até 6 anos, e o kyleena, que pode ser usado por até cinco anos.

Anel vaginal

Outro método hormonal é o anel vaginal. Com formulação semelhante à da pílula anticoncepcional, visualmente, ele parece uma pulseira flexível e transparente.

Geralmente, o anel é introduzido na vagina no 5º dia da menstruação, devendo permanecer por lá por 3 semanas.

Sua taxa de falha gira em torno de 0,3% no uso ideal.

Qual método escolher?

A escolha do método contraceptivo é uma decisão importante e pessoal. Existem muitos fatores a serem considerados, incluindo eficácia, segurança, efeitos colaterais, facilidade de uso e preferências pessoais.

Sendo assim, é indispensável que você consulte um médico ginecologista para escolher o melhor método para você. O médico explicará os detalhes de cada opção, além de avaliar o seu caso.

Afinal, anticoncepcional diminui a libido?

Para quem usa ou está pensando em começar a usar um método contraceptivo, certamente já se perguntou se anticoncepcional diminui a libido.

Alguns estudos sugerem que o uso de anticoncepcionais pode afetar a libido em algumas mulheres, enquanto outros afirmam que não há evidências concretas que comprovem tal impacto.

É importante lembrar que a maioria dos contraceptivos hormonais contém estrogênio e progesterona sintéticos, que atuam inibindo a ovulação e, consequentemente, afetando os níveis hormonais. Essas alterações hormonais podem afetar o desejo sexual de algumas mulheres.

No entanto, como já mencionamos, a libido é um fenômeno complexo e depende de muitos fatores, incluindo fatores emocionais, psicológicos e relacionais.

Desse modo, algumas mulheres podem sentir uma diminuição na libido após o início do uso do anticoncepcional hormonal, enquanto outras não percebem nenhuma mudança. Outras podem até mesmo experimentar um aumento na libido devido à segurança que o método anticoncepcional oferece.

Em geral, as alterações na libido associadas ao uso de anticoncepcionais hormonais tendem a ser pequenas e não afetam significativamente a vida sexual da mulher.

Aqui na Miess, temos diversas opções de energéticos de alta performance para diminuir o cansaço e melhorar a performance sexual. Conheça alguns deles abaixo:

Energéticos na Miess

Pó da bruxinha

Uma das opções mais famosas de energéticos é o Pó Mágico de Bruxinha. Na verdade, ele é um poderoso afrodisíaco natural que potencializa o desejo sexual.

Seus ingredientes naturais (guaraná, catuaba, marapuama, noz de cola e phaffia) ajudam a aumentar a libido, garantindo uma noite de muito tesão entre quatro paredes.

pó mágico da bruxinha loka sensação

Tesão de Vaca

Outra opção incrível de energético é o Tesão de Vaca da Sexy Fantasy.

Esse potente energético foi desenvolvido para esquentar a relação e trazer de volta aquele fogo esquecido. Isso porque seus ingredientes naturais (cafeína, catuaba e taurina) proporcionam mais tesão para a mulher.

tesão de vaca afrodisíaco natural

Gotas afrodisíacas

Por fim, um produto também indicado para aumentar o desejo são as gotas afrodisíacas da K-lab.

Seu efeito começa a ser sentido de 30 a 40 minutos após ser ingerido, aumentando o desejo e deixando a sua excitação nas alturas. 

As gotas podem se adicionadas à sua bebida preferida, incluindo alcoólica.

gotas afrodisíacas k-lab

Gostou do conteúdo? Aproveite para ler também: “Preliminares no sexo: conheça sua importância”.

Posts Similares